Sensibilidade do algodoeiro ao cloreto de mepiquat em condições salinas

Francisco de Assis de Oliveira, José Francismar de Medeiros, Francisco Ronaldo alves de Oliveira, Mychelle Karla Teixeira de Oliveira, Alcione Guimarães Freire

Resumo


Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito de diferentes níveis de salinidade da água de irrigação e tratamento de sementes com regulador vegetal no desenvolvimento do algodoeiro. O delineamento experimental adotado foi inteiramente ao acaso, arranjados em esquema fatorial 5 x 2 com quatro repetições. Os tratamentos resultaram da combinação de cinco níveis de salinidade da água de irrigação (S1-0,5; S2-2,0; S3-3,5; S4-5,0 e 6,5 dS m-1) em sementes tratadas e não tratadas com regulador vegetal. As características avaliadas foram: número de folhas, área foliar, altura, massa seca do caule, das folhas e da parte vegetativa, área foliar específica e razão de área foliar. Houve interação entre salinidade e tratamentos de sementes com cloreto de mepiquat apenas para área foliar e razão de área foliar. Todas as demais características foram reduzidas com o aumento da salinidade da água de irrigação, com maiores reduções para área foliar (média de 65,8%) e massa seca da parte vegetativa (64%). O tratamento das sementes com cloreto de mepiquat afetou o desenvolvimento das plantas, independente da salinidade.


Palavras-chave


Algodão; Plantas-efeito do sal; Plantas-desenvolvimento

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.