Efeito do dióxido do carbono, temperatura e armazenamento sobre sementes de soja e micoflora associada

Raimundo Wagner de Souza Aguiar, Deyvid Rocha Brito, Akio Ootani Marcio, Rodrigo Ribeiro Fidelis, Joenes Nucci Peluzio

Resumo


O desenvolvimento vegetativo e reprodutivo da planta da soja está relacionado à tecnologia de produção de sementes de boa qualidade, com vigor e livres de patogenos. Desse modo, objetivou-se neste trabalho avaliar a efeito do dióxido de carbono (CO2) associado à temperatura sobre a micoflora e a qualidade das sementes em diferentes períodos de armazenamento. O delineamento usado foi inteiramente casualizado em fatorial (2 x 3 x 4), sendo duas temperaturas (25 e 31 ºC), três concentrações de CO2 (0,0; 2,5 e 5,0 g de CO2 kg-1 de sementes) e quatro períodos de armazenamento (30; 60; 90 e 120 dias). De acordo com resultados obtidos, observou-se que o dióxido de carbono foi extremamente tóxico para os fungos Aspergillus sp., Fuzarium sp., Coletrochium sp e Penicilium sp., com 100% de inibição na concentração de 5 g de CO2 kg-1 de sementes nas temperaturas de 25 e 31 ºC. A germinação e o vigor das sementes foi preservado pelo dióxido de carbono, com germinação de 92% após o período de 120 dias de armazenamento. Enquanto, sementes armazenadas sem  CO2 na temperatura de 31 oC, a germinação foi de 44,66%. A manutenção do vigor e da germinação foi dependente da concentração do CO2 e da temperatura. O CO2 poderá ser uma tecnologia viável a ser usada para manutenção da qualidade das sementes de soja pelas unidades de beneficiamento de sementes no estado do Tocantins.

 


Palavras-chave


Soja; Plantas-efeito da temperatura; Plantas-armazenamento; Germinação

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.