Produção do algodoeiro em função da salinidade e tratamento de sementes com regulador de crescimento

Francisco de Assis de Oliveira, José Francismar de Medeiros, Francisco Ronaldo Alves de Oliveira, Alcione Guimarães Freire, Leonardo Cirilo da Silva Soares

Resumo


Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito de diferentes níveis de salinidade da água de irrigação e sementes tratadas com regulador de crescimento na produção do algodoeiro. O delineamento experimental adotado foi inteiramente ao acaso, arranjados em esquema fatorial 5 x 2 com quatro repetições. Os tratamentos resultaram da combinação de cinco níveis de condutividade elétrica da água de irrigação (S1-0,5; S2-2,0; S3-3,5; S4-5,0 e S5-6,5 dS m-1) em sementes tratadas e não tratadas com regulador de crescimento. As variáveis avaliadas foram: produção de algodão em caroço, produção de sementes e de fibra, peso de 100 sementes e porcentagem de fibra. Não houve interação entre os níveis de salinidades e as sementes tratadas com regulador de crescimento. Os parâmetros produtivos do algodoeiro são reduzidos com uso de água de salinidade a partir de 3,5 dS m-1, independente das sementes serem tratadas com regulador de crescimento. As características agronômicas: peso de 100 sementes, porcentagem de fibra e produção de algodão em caroço não são influenciadas pelo cloreto de mepiquat. O tratamento das sementes com regulador de crescimento não afeta o efeito adverso da salinidade.


Palavras-chave


Gossypium hirsutum L.; Estresse salino; Cloreto de mepiquat

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.