Métodos e temperaturas de hidratação na qualidade fisiológica de sementes de milho

Claudemir Zucareli, Cláudio Cavariani, Eliege Aparecida de Paiva Oliveira, João Nakagawa

Resumo


O procedimento de uniformização e elevação do teor de água das sementes é recomendável para se obter resultados uniformes e confiáveis, em testes para a qualidade fisiológica de sementes, como o envelhecimento acelerado e a deterioração controlada. O trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade fisiológica de sementes de milho, após a hidratação sob diferentes métodos e temperaturas, visando à elevação do teor de água para 15; 20 e 25%. Empregou-se o delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4 x 2, com quatro repetições. Os tratamentos foram constituídos de quatro métodos de hidratação (substrato úmido, atmosfera úmida, imersão em água e adição da quantidade de água requerida) sob duas temperaturas (20 e 30 °C). Após a hidratação, as sementes foram submetidas às seguintes determinações: teor de água, condutividade elétrica, porcentagens de germinação e de plântulas normais na primeira contagem do teste de germinação, massas secas das porções aérea, radicular e total das plântulas obtidas na primeira contagem. O método da atmosfera úmida proporciona redução da qualidade fisiológica das sementes de milho nos três teores de água. A temperatura de 30 °C e o método da imersão direta em água não alteram a qualidade fisiológica das sementes de milho, mostrando-se adequados para a hidratação visando à elevação do teor de água para 15; 20 e 25%.


Palavras-chave


Zea mays; Teor de água; Germinação; Potencial fisiológico

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.