Levantamento, patogenicidade e transmissão de fungos associados às sementes de sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth)

Sandra Santos Mendes, Paulimara Rodrigues dos Santos, Geórgea da Cruz Santana, Genésio Tâmara Ribeiro, João Basílio Mesquita

Resumo


Sementes de Sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth) provenientes de Estância-SE, com e sem desinfestação superficial, foram colocadas em caixas gerbox, sobre três folhas de papel de filtro umedecidas com água destilada esterilizada contendo 200 ppm sulfato de estreptomicina, com a finalidade de efetuar o levantamemto da micobiota associada às sementes. Foram testados também a patogenicidade e a transmissibilidade dos fungos detectados. Os gêneros detectados nas sementes sem desinfestação superficial foram: Fusarium solani, 28,5%, Phomopsis sp., 4,5%; Pestalotiopsis sp., 9,5%; Colletotrichum gloeosporioides, 6% e Aspergillus spp., 4%. Os mesmos gêneros apareceram nas sementes desinfestadas, porém em proporções diferentes: Fusarium solani, 27,5%; Phomopsis sp., 14%, Colletotrichum gloeosporioides, 9%; Pestalotiopsis sp., 5% e Aspergillus spp. 0,5%. No teste de patogenicidade, Fusarium solani quando inoculado por pulverização causou murcha em 10% das plântulas e Pestalotiopsis sp. causou manchas foliares diminutas de coloração branco acinzentado em 6% das plântulas. No teste de transmissão as sementes que não germinaram, apresentaram os fungos Pestalotiopsis sp., 8,5%; Colletotrichum gloeosporioides, 0,5%; Fusarium solani, 7,5% e Phomopsis sp., 1,5%. Os fungos detectados nas sementes não foram transmitidos para as plântulas.


Palavras-chave


sabiá, Mimosa caesalpiniaefolia, fungi.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.