Artrópodes fitófagos e predadores associados em 20 acessos Luffa sp. em sistema orgânico

Germano Leão Demolin Leite, Elwira Daphinn Silva Moreira, Verônica Alves Mota, Izabel Cristina Pereira Vaz Ferreira, Cândido Alves da Costa

Resumo


Os objetivos desta pesquisa foram verificar os artrópodes fitófagos e seus predadores em 20 acessos de bucha vegetal Luffa sp. (Cucurbitaceae), a distribuição destes no dossel das plantas em cultivo orgânico e a produção de frutos dos acessos. O experimento foi em blocos casualizados com 20 tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos foram os acessos P159, P304, P466, P03, P570, P569, P467, P30, P446, P495, P125, P263, P644 e P32, provenientes da Embrapa (CENARGEN, DF), e P01, P02, P04, P05, P06 e P07, obtidos em Porteirinha-MG. As parcelas foram compostas por quatro plantas de Luffa sp. A maior abundância de Diabrotica speciosa (Germar) (Coleoptera: Chrysomelidae) foi observada nas folhas do acesso P467 em referência aos demais acessos de Luffa sp. Trigona spinipes (Fabricius) (Hymenoptera: Apidae) foi mais observada nas flores dos acessos P01, P03, P30, P32, P263 e P569 e menos abundantes nos acessos P05, P125, P159, P304, P446 e P570. Os acessos de Luffa sp. com maior número de frutos/planta foram P01, P03, P05, P06, P07, P30, P32, P125, P263, P446 e P570. Os predadores aranhas e Coccinellidae (Coleoptera) bem como o fitófago Cicadellidae (Hemiptera) preferiram atacar a face adaxial, sendo que não se detectou diferença estatística entre as faces para os demais artrópodes. T. spinipes esteve mais presente na parte apical do dossel das plantas. Com esses resultados, o acesso P06 é o mais indicado para o cultivo, pois foi um dos que apresentou maiores produtividades e menores taxas de ataque de insetos.

Palavras-chave


Bucha vegetal; Inseto; Inimigos naturais

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.