Produção e composição químico-bromatológica da aveia preta fertilizada com doses crescentes de dejeto líquido suíno

Daniela Mondardo, Deise Dalazen Castagnara, Paulo Sergio Rabello de Oliveira, Tiago Zoz, Eduardo Eustáquio Mesquita

Resumo


O trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da aplicação de doses crescentes de dejeto líquido suíno sobre a produção e composição químico-bromatológica da parte aérea da aveia preta. O experimento foi conduzido em sistema de plantio direto sob o delineamento em blocos casualizados com quatro repetições e os tratamentos constituídos pela aplicação de 0; 10; 20; 30; 40 e 50 m3 ha-1 de dejeto líquido suíno. Foram determinados a produção de MS da parte aérea, a relação folha:colmo e os teores de proteína bruta (PB), fibra em detergente ácido (FDA), fibra em detergente neutro (FDN), matéria mineral (MM), matéria orgânica (MO), nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), magnésio (Mg), cobre (Cu), zinco (Zn), manganês (Mn) e ferro (Fe). A aplicação de dejeto líquido suíno não promoveu efeitos significativos sobre a produção de MS e teores de FDN, MM e MO, mas promoveu aumento linear da relação folha:colmo e do teor de PB e redução linear no teor de FDA. Quanto aos minerais, as doses de dejeto líquido suíno promoveram aumento linear nos teores de N, P, K, Ca e Zn, sem efeitos sobre os demais minerais estudados. A utilização de dejeto líquido suíno na fertilização da cultura da aveia até a dose de 50 m3 ha-1 não aumenta a produção de forragem mas eleva o valor nutricional.


Palavras-chave


Avena strigosa Schreb; Esterco; Valor Nutricional

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.