Condicionamento osmótico em sementes de milho doce submetidas ao Armazenamento

Andréa dos Santos Oliveira, Renata Silva-Mann, Michelle da Fonseca Santos, Itamara Bomfim Góis, Marcos Cabral de Vasconcellos Barretto

Resumo


Elevados teores de açúcares solúveis e baixo teor de reservas no endosperma, associados à presença de pericarpo tenro são fatores que contribuem para que sementes de milho doce apresentem rápida perda de viabilidade e baixa uniformidade na densidade de plântulas. A utilização de condicionamento osmótico visa à uniformidade e velocidade na germinação. Este trabalho teve como objetivo, condicionar sementes de milho doce armazenadas para após 6 meses, usando soluções de Polietilenoglicol (PEG 6000). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, esquema fatorial 2x4, sendo dois potencias osmóticos (-1,0 e -1,2 MPa) e quatro períodos de condicionamento osmótico (0; 3; 5 e 7 dias). Após o tratamento avaliou-se o teor de água (%U), a germinação (%G), índice de velocidade de germinação (IVG) e condutividade elétrica (CE). Os dados de %G e IVG foram submetidos à análise  e regressão. Houve aumento no teor de água até a semente entrar em equilíbrio com a solução osmótica. Maiores valores de germinação ocorreram no tratamento por 3 dias nos potenciais de -1,0 e -1,2 MPa.


Palavras-chave


Zea mays. Osmotic potential. Vigor.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.