Determinação de aflatoxinas em amêndoas de cajueiro por cromatografia em camada delgada

Ícaro Gusmão Pinto Vieira, Francisco das Chagas Oliveira Freire, Juliana Alves Andrade, Francisca Noelia Pereira Mendes, Maria da Conceição Nascimento Monteiro

Resumo


Neste trabalho foi detectada, pela primeira vez no Brasil, a presença de aflatoxina B1 em farinha de amêndoas de cajueiro. A quantificação confirmou níveis inferiores a 2x10-9 kg kg-1, portanto, abaixo do nível máximo permitido pela legislação internacional. Neste trabalho, as amostras utilizadas foram de diversos tipos (W4; W3; G2; F2; G1; SP2; X1; W1-320;P1m; LW1; SP3) de amêndoas de cajueiro, obtidas de empresas dos Estados do Rio Grande do Norte e do Ceará. O objetivo deste trabalho foi adaptar o método de análise por Cromatografia em Camada Delgada (CCD) para amêndoas de cajueiro. As análises realizadas constaram da identificação das aflatoxinas B1, B2, G1 e G2 e sua respectiva quantificação, utilizando padrões de concentrações definidas de aflatoxinas comparando a cor da fluorescência e o valor dos Rfs. A CCD mostrou-se eficiente para trabalhos rotineiros de determinação de aflatoxinas em amêndoas de cajueiro


Palavras-chave


Cashew kernels. Aflatoxin B1. TLC .

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.